Brainstorm para o AMADIS 2

Da AMADIS

O AMADIS atingiu no release 1.2 um grande avanço. Essa versão foi o fruto de 2 anos de trabalho buscando uma concepção que sustentasse o desenvolvimento de futuras versões. Uma vez que a equipe criou uma proposta sobre o que é desenvolver uma plataforma para Projetos de Aprendizagem, devemos agora trabalhar no seu limiar, buscando expandir suas possibilidades e compreender suas necessidades e limites. Esse artigo busca criar um espaço para discutir como será esse novo release do AMADIS e como ele deverá ser construído.

Para tanto, este documento foi divido em três grandes itens: uma para discutir o design da plataforma, outro sua tecnologia e uma terceira as questões que se deseja investigar com ela.

Índice

Discussão sobre o AMADIS 2

Baseado em diversos acontecimentos, foi notado a necessidade de algumas mudanças conceituais no ambiente, para que ele possa atender, de maneira mais eficaz, o trabalho em sala de aula. Parte disso se deve ao contato do LEC com a OLPC, e a entrada dos laptops no projeto UCA. Durante o projeto pudemos ver como o ambiente é usado pelas crianças e seus professores, alertando a equipe do projeto para futuras mudanças que trariam maior conforto no uso do ambiente.

O mais importante a notar, é que o ambiente não mudará somente em sua aparência, mas sim em sua estrutura como um todo. A versão 1.4 utilizada hoje em dia teve seu foco de pesquisa na interação, o que acarretou numa falha de arquitetura, que não lhe torna fácil de navegar pelos conteúdos criados pelos alunos.

Segundo o que será descrito abaixo, o Amadis 2.0 terá uma nova concepção quanto ao gerenciamento dos conteúdos, tornando muito mais fácil de encontrar usuários, projetos, comunidades, páginas, etc. Segue a lista de melhorias que deverão surgir para a próxima versão do ambiente:

  1. Persistência e agilidade: O AMADIS deve ser melhorado quanto a persistência dos dados no ambiente. Atualmente, ele não se beneficia de nenhum recurso de Web2.0, como auto-saving por AJAX. Utilizando mais recursos Web2.0 evita-se perdas de dados com expiração de sessão e torna mais coerente para alunos mais novos a criação de registros dentro do ambiente. Além de ser muito mais ágil, pela diminuição de trafego de dados na rede.
  2. Modularidade: O AMADIS atual não é modular, forçando ao responsável pela sua manutenção conhecer muito bem o Core. Por este motivo ele deve ser modular e facilmente extensível, possibilitando sua customização para necessidades locais e foverecendo o desenvolviemento a distãncia.
  3. Documentação: Um dos grandes defeitos do desenvolvimento do AMADIS é a falta de uma documentação, completa e clara, sobre o core, e sobre o desenvolviemento de novas funcionalidades. Para essa nova versão esse é um ponto fundamental e que pode comprometer todo o projeto.
  4. Blogging: durante a utilização do ambiente no primeiro ano de experiência com a Escola Luciana de Abreu, o Blog do AMADIS foi amplamente utilizado, por dois motivos: ele era a ferramenta mais estável do ambiente e era a mais fácil de se utilizar. Os recursos utilizados pelos alunos restringiram-se mais ná área de publicação de fotos e relatos de experiência.
  5. Projetos de Aprendizagem: a ferramenta de projetos não conseguiu dar o devido suporte a construção dos projetos por alguns motivos bem simples. Ela é baseada na construção de uma página onde deve ser concentrada toda a produção e pesquisa do aluno a volta de sua questão de investigação. No entanto, os problemas de publicação de páginas é recorrente, não somente os alunos, mas as pessoas em geral, têm dificuldade de entender a relação entre links e imagens contidos nas páginas. Portanto, a ferramenta de projetos manterá sua estrutura de gerenciamento de grupos, o que permite adicionar, remover e convidar integrantes do projeto, e no lugar de uma página haverá agora um wiki, que de maneira automática deve organizar a produção dos alunos, a medida que as páginas forem criadas.
  6. Webfolio (WebJournal): toda produção do aluno deve ser organizada em um espaço privado, e deve facilitar o acesso de quem vem visitá-lo, pensando nisso uma mudança drástica na forma como o AMADIS organiza a produção do aluno será feita. Antes eles eram espalhados entre áreas(projetos, comunidades, diário, amigos) sendo necessário acessar vários níveis do ambiente para achar uma informação, ou até mesmo para comprovar se algo existia. Nessa nova abordagem, somente o que realmente foi produzido é visto, entrando em um Webfólio alheio, você verá uma lista de produções realizada pelo seu dono, e não necessitará ir mais além do que acessar uma informação diretamente.
  7. Vizinhança: vindo das redes sociais existentes pelo mundo, o conceito de presença e vizinhança permite que qualquer ambiente de interação, tenha capacidade de promover a ligação de duas pessoas através de inúmeros meios, principalmente através de grupos de interesse, estimulando o trabalho cooperativo.
  8. Tagging: a muito foi discutido o uso de indexadores em AVAs, para facilitar a pesquisa e avaliação dos conteúdos gerados dentros dos ambientes. Com o objetivo de aumentar a possibilidade de interação entre usuários, e dispertar o interesse nos assuntos gerados no ambiente, um sistema de indexação se faz necessário. Utilizando-se de tags ele seria capaz de organizar e sugerir relações entre os usuários do Amadis.

Toda essas propostas e abordagens para esse novo ambiente baseam-se em experiências vividas na escola piloto durante o ano de 2007, e baseado no feedback dado pelas pessoas que o utilizaram.

Tecnologia

Linguage e Framework

A equipe de desenvolvimento do Amadis adotou o Python como linguagem de base e o Django como framework no auxílio da construção do ambiente.

O que levou a equipe de desenvolvimento escolher o Python e Django.

Nos últimos anos o desing de aplicações web se modificou bastante, primeiro veio o CGI que era puramente linear, e hoje temos o MVC que favorece a distribuição e separação das partes de uma aplicação web, o que facilita muito a divisão de tarefas entre os membros de uma equipe.

Enquanto o Amadis era desenvolvido em PHP, nunca foi possível mudar sua arquitetura para que funcionasse de maneira mais otimizada, e com o surgimento do Rails e Django, viu-se que as outras linguagens já favoreciam em muito esse tipo de desenvolvimento.

O Amadis teve seu primeio alfa-test feito com o framework Rails. O que buscou-se no Rails foi a facilidade e agilidade no desenvolvimento que ele oferece, porem o desenvolvimento esbarrou na construção de modularidade para ele.

Os principais frameworkds PHP Code Igniter, Zend e Cake-PHP foram cotados, mas as limitações da linguagem já haviam causado dores o suficiente.

Enfim, chegou-se ao python, os motivos foram vários. O python é uma linguagem que é amplamente utilizada dentro dos ambientes linux, bibliotecas de imagens, manipulação de arquivos, web services, etc. A vantagem dele sobre as outras linguagens é que praticamente tudo depende da instalação de plugin ou extensão para a linguagem, sendo que o python já pode ter isso disponível automaticamente. Nas questões de performance, pode-se recorrer ao C ou Java, e usá-los como extensores. O framework Django foi o escolhido por favorecer o desenvolvimento modular, o ambiente provido por ele, já funciona de maneira distribuída, o que facilitou muito na construção da base do Amadis, necessitando somente a equipe de desenvolvimento montar o esqueme de manipulação de pacotes customizados do ambiente.

Mais informações em: Modularidade do Amadis.

Design da Plataforma

Como dito anteriormente o Amadis sofrerá grandes mudanças em seu visual, para a realização da transformação de sua concepção atual. Portanto, neste documento é descrito as previsões de cada parte do novo ambiente, que também pode ser visualizado em seu Mockup (Mockup é uma página estática que simula o ambiente em funcionamento).

Conforme a satisfação da equipe pedagógica do LEC, se aprovado os Mockup, ele começa a ser transposto para o ambiente de fato, dando andamento no desenvolvimento.

Melhorias ou reformulações

O Amadis 2.0 encontra-se em constante desenvolvimento, mas sem uma previsão para sua versão BETA que será disponibilizada para testes pelo público.

Dentre as melhorias existente, a maior delas, e certamente a mais complicada, foi a construção do módulo Core. Este módulo é responsável por ligar os módulos a interface. Com este sistema modular, o Amadis pode ter suas aplicações plugadas e desplugadas sem interferência no seu funcionamento, além de oferecer grandes possibilides de expansão.

Mais informações em Amadis 2.0 - Módulos

Amadis Mockups

O site Mockup não é o ambiente de verdade, ele é somente uma página estática que facilita o planejamento e tomada de decisões pelos desenvolvedores e colaboradores. Este é um facilitador que pode evitar que se programe coisas que não são na verdade necessárias e mantém o curso certo do desenvolvimento.

Para visualizar o mockup do Amadis, visite http://www.lec.ufrgs.br/~robson/apresentacao/amadis/mockup

Amadis Mockups - Tela por Tela

Tela Inicial

A tela inicial é a primeira página acessada pelo visitante ou usuário do ambiente, pensou-se inicialmente ter duas visualizações desta tela, a primeira que demonstra as principais partes do Ambiente, como se fizesse propaganda do próprio ambiente, mais convidativa que a atual. Nesta tela poderia existir algumas entradas diferenciadas, que explicassem o ambiente para diferentes públicos, em forma de perguntas ficaria: Você é um professor?, ou Você é um membro da Comunidade?, ou ainda Você é um entusiasta?

  • Você é um professor? - A apresentação do ambiente para professores deve ser bem formulada e pensada para eles, pois é provável que eles busquem coisas diferentes dos demais. Uma boa prática seria tentar responder na interface a seguinte pergunta: Como o Amadis vai melhorar a atividade de sala de aula?
  • Você é um membro da Comunidade? - Nesse setor entrariam pessoas que somente gostam de interagir e compartilhar idéias, eles não vão trabalhar em sala de aula. Por isso a apresentação do ambiente para eles deve seguir um outro contexto.
  • Você é um entusiasta? - Esta entrada pode atender aquela pessoa que quer baixar, alterar, instalar, expandir, ver a fundo o ambiente, explorando ao máximo os seus recursos. Considero esse o tipo de gente que pode mobilizar pessoas para usar o ambiente, portanto uma simples introdução não é suficiente para ele.


Dashbar

O Dashbar é mais especificamente o menu principal do ambiente. Anteriormente o menu era dividido em dois, uma menu superior para as áreas gerais e um menu lateral para o usuário.

A proposta para esta próxima versão é eliminar o menu superior da versão 1.6 e colocar em seu lugar um novo menu, com o conteúdo do menu lateral.

Mesmo sendo o conteúdo do menu lateral, o Dashbar deve permitir que o usuário consiga encontrar qualquer coisa no ambiente e ainda sim ter acesso ao que é mais comumente utilizado por ele, como os amigos e a busca.

Este menu certamente precisa ser melhorado, para que atinga a clareza necessária, e seja colocado na versão final do ambiente.

Webfolio

O Webfolio é uma das partes mais modificadas do ambiente, com a série de novos recusos para facilitar o uso e acesso.

Journalling

Este novo recurso que permite visualizar toda a produção do usuário sem a necessidade de navegação é o percursor da principal mudança no core do Amadis. Pois sem uma estrutura modular e a arquitetura de Nodos não seria possível ter um recurso de fácil manutenção e uma visualização otimizada dessas.

Bookmarks

Agora que o Amadis é um ambiente modular, seus pacotes têm a liberdade prover conteúdo específico de várias maneiras. Como é comum a necessidade de acompanhamento de diversos conteúdos de partes diferentes do ambiente, o Webfolio consegue fazer esse papel de agregador, onde o próprio usuário escolhe o que vai aparecer, e o que mais lhe interessa.

Por exemplo, se alguém deseja acompanhar alguns projetos, mas sem se tornar membro dele, é possível adicioná-los aos seus favoritos, e ele aparecerá no seu webfolio como dentre os projetos favoritos.

Projetos

Comunidades

Search

Ferramentas pessoais
Parceiros
















SourceForge.net Logo

Supported by Cenqua