Funcionalidade Chat Versão 1.x

Da AMADIS

(Diferença entre edições)
(Finder, uma ferramenta de Instant Messaging: criei introdução.)
(Referências Bibliográficas)
Linha 69: Linha 69:
=Referências Bibliográficas=
=Referências Bibliográficas=
-
;REID, E.: Electropolis: Communication and community on Internet Relay Chat. Unpublished honors thesis, Department of History, University of Melbourne, Melbourne, Australia. 1991. Disponível em http://www.irchelp.org/irchelp/misc/electropolis.html.
+
;BOYD, Danah e LEE, Hyun-Yeul e RAMAGE, Daniel e DONATH, Judith S.: Developing Legible Visualisations for Online Social Spaces.In: HICSS, 2002, Hawaii. Anais.  
-
;NOBLIA, María Valentina: Convesación y comunidad: Las chats en la comunidad virtual. Em: . Revista Iberoamericana de Discurso y Sociedad. Barcelona, España: Editorial Gedisa, 1998.
+
;REID, E. : Electropolis: Communication and community on Internet Relay Chat. Unpublished honors thesis, Department of History, University of Melbourne, Melbourne, Australia. 1991. Disponível em http://www.irchelp.org/irchelp/misc/electropolis.html. 241 p. Tese de Doutorado.
 +
 
 +
;NEVADO, R. A.: Espaços interativos de construção de possíveis : uma nova modalidade de formação de professores. Porto Alegre. PPGEDU/UFRGS, 2001.Tese de Doutorado.
 +
 
 +
;NOBLIA, María Valentina: Convesación y comunidad: Las chats en la comunidad virtual. Em: . Revista Iberoamericana de Discurso y Sociedad. Barcelona, España: Editorial Gedisa, 1998.

Revisão das 21h44min de 10 de Agosto de 2006

Peca esboço.gif

'Este artigo é somente um esboço para um artigo maior.
'Quer ajudar o AMADIS? Acrescente alguma informação!

O chat é uma ferramenta caracterizada como um espaço de interação síncrona entre duas ou mais pessoas geograficamente distantes. Ele antecede a própria Internet, mas ao contrário de outras ferramentas para a grande rede, as quais acompanharam a enorme evolução das tecnologias da informação das últimas décadas, o chat pouco mudou em sua essência. Desde o aplicativo Talk, que acompanhava os primeiros UNIX da Universidade de Berkeley, em uma época em que a Internet era apenas um embrião, o chat tem se mantido fiel à idéia de troca de mensagens de texto entre dois ou mais usuários.

O avanço da tecnologia (tanto da informática quanto das tele-comunicações) e, principalmente, a maior disponibilidade de conexões de banda larga, possibilitaram o surgimento de novas formas de comunicação, como a vídeo-conferência e o voice-over-ip, que pareciam anunciar o fim do chat. No entanto, essa ferramenta assumiu novas formas, como o Instant Messaging ou os Chats apoiados por imagens (ex. The Pallace), assim recuperando o fôlego e mantendo-se ainda vivo.

Mesmo com o surgimento dessas novas variantes, o chat tradicional, cujas principais características foram definidas há muito pelos sistemas de Instant Relay Chat – IRC, continua tendo grande popularidade entre os usuários da Internet. Para tanto, não se faz necessário recorrer a estatísticas, bastanto verificar a constante participação dos usuários nas “salas de chat” gratuítas disponíveis na Web.

Devido a sua carater síncrono, o chat apresenta-se como uma ferramenta importante em uma plaforma virtual de aprendizagem, encontrando-se presente em quase todas elas. Reid(1991) em seu estudo denominado “Electropolis: Communication and Community On Internet Relay Chat” mostra como chat se constitui em um locus propício à interação entre os indivíduos, ou seja, à socialização, muitas vezes podendo se converter em um grande playground. O chat é um espaço muito mais propício à conversação do que à retórica.

Reid(1991), também mostra como esse tipo de CMC rompe a intensa diferença que os teóricos da linguistica estabelecem entre a palavra escrita e falada. Essa distinção é baseada na percepção da proximidade espacial e temporal da comunicação oral, e a distância da comunicação escrita. No entanto, como evidencia Noblia(1998), o chat ora apresenta características da oralidade, ora do texto escrito.

Compreender essas características do chat, é de suma importância para o desenvolvimento de uma ferramenta desse tipo. Isso possibilita que o programador explore as características interessantes da ferramenta, buscando desenvolver um sistema que contribuí no desenvolvimento das atividades de ensino e aprendizagem que ocorrem em um ambiente virtual de aprendizagem.

Índice

Descrição da Ferramenta de Chat

Gerenciamento das Salas de Chat

O chat, assim como a maior parte das ferramentas de CMCs no AMADIS, está sempre associado à um projeto, curso ou comunidade. Isso significa que cada uma das instâncias desses elementos estruturais possuí seu próprio conjunto de sala de chat, mesmo que todos valham-se da mesma implementação da ferramenta. Optou-se por utilizar o conceito de sala de chat ao invés de criar apenas um único chat para cada projeto, por exemplo. Permitir que o usuário crie diferentes salas de chat, possibilita que os usuário "noneiem" as diferentes discussões que ocorrem ao longo do tempo, tornando mais fácil referenciá-las. Além disso, também é uma forma de auxiliar o usuário definir e organizar os temas que serão abordados.

Diálogo para crianção de uma Sala de Chat

Na imagem acima, pode-se observar o ícone que leva até as salas de chat do projeto "Como construir um foguete que voe alto e seja veloz?". No formulário de registro de uma sala, encontram-se em destaque o nome e a imagem do projeto, de forma a evidenciar ao usuário a relação hierárquica existente entre esse e as salas. O botão de agendar, exibe opções que possibilitam ao usuário agendar os chats para momentos futuros, o que pode auxiliar a organização das atividades.

Ao se estruturar o ambiente de forma que na árvore de navegação do interface as salas de chats, sejam nodos filhos de projetos, cursos ou comunidades, surge um problema de interface. Para saber quais os chats em andamento ou que encontram-se agendados, o usuário precisa procurar exaustivamente nas atividades em que participa. Isso é praticamente inviável quando um usuário está engajado em muitas frentes de trabalho. Para tanto, foi criado um pequeno sistema de notificações no Webfólio Pessoal do usuário.

Tela chat webfolio.jpg

Nesse sistema, ficam listados todos os chats que estão ocorrendo no ambiente neste momento, bem como, aqueles agendados para as atividades nas quais o usuário participa. Na imagem acima, pode-se observar que um chat entitulado "LEC II ao espaço e avante!" encontra-se agendado no projeto anterirmente citado. Caso o chat esteja ocorrendo, exibe-se um link, de forma que o usuário possa diretamente do Webfólio abrir a sessão em andamento.

Interface do Chat

A ferramenta do chat do AMADIS é muito semelhante as implementações disponíveis na Web. Ela divide-se em duas áreas, uma na qual as mensagens enviadas são listadas cronológicamente segundo sua ordem de recepeção e outra onde o usuário redige e envia as suas contribuições.

Janela de um chat no AMADIS

Na lista das mensagens, cada usuários é representando por uma cor distinta, de forma a delimitar claramente os limites de cada mensagem. As maiores inovações no desenvolvimento desta ferramenta, ocorreram em sua implementação, a qual privilegiou a facilidade de uso e a estabilidade do sistema.


Web-papo, uma ferramenta de Instant Messaging

Instante Messaging - IM, é um tipo de CMC semelhante ao chat que ocorre, usualmente, entre apenas duas pessoas. A implementação e uso de ferramentas que dessem suporte ao IM em plataformas de aprendizagem data desde a década de 1970, com o sistema PLATO. No entanto, foi apenas nesta última década que o IM alcançou uma maior disseminação, alcançando o status de moda entre os usuários da Internet. A necessidade constante de informação e de conexão que caracterisam a sociedade pós-moderna, parece ter encontrado o "par perfeito" nas ferramentas de IM. Como um fenômeno recente, pouco pesquisou ainda sobre como o IM afeta a vida dos usuários da Internet, mas, pode-se afirmar que ele hoje tem grandes influências sobre as formas de ser e pensar da sociedade.

Uma ferramenta de IM possuí duas partes principais: uma lista de contatos e um espaço para a conversação. A lista de contatos é a principal diferença do IM para o Chat. Ela consiste em uma forma de exibir as pessoas que encontram-se on-line de uma certa comunidade. Essa lista pode ser particular a cada usuários, sendo construída por ele, ou pode ser coletiva, sendo compartilhadada por todos os usuários do sistema. A ferramenta de conversação é um chat, que é disparado por ações realizadas sobre a lista de contatos. Devido a forma como as listas são construídas, os diálogo costumam ocorrer entre duas pessoas apenas, apesar de grupos maiores serem possíveis na maior parte das implementações.

Nas plataformas virtuais de aprendizagem, o uso de IM possuí dois objetivos: coordenação entre os usuários e presença.

O IM é uma ferramenta útil no sentido de coordenar as ações entre os diversos usuários de um ambiente, devido ao áspecto síncrono que o diálogo assume. Esse tipo de característica também existe no chat. No entanto, o chat pressupõe uma certa articulação anterior entre os participantes. É necessário criar uma agenda comum para que seja criado o espaço do diálogo. Já no IM, a lista de usuários possibilita uma maneira menos burocrática para que os usuários engajem-se em uma conversação. As questão podem ser obter uma solução de forma mais simples.

A segundo objetivo refere-se a dar visibilidade aos usuários que "habitam" o ambiente criado por uma plataforma. Usualmente, EAD por muitos como impessoal na medida em que não envolvero contato entre as pessoas. Na realidade, isso é um equívoco, pois os sujeitos não deixam de existir nessa modalidade de ensino. Mesmo não se encontrando no mesmo espaço físico, eles compartilham o mesmo espaço virtual. Como fala Nevado(2001), a antítese do presencial não é o virtual, mas sim a ausência.

No entanto o sentido de isolamento relatado por alguns usuários não pode ser negligenciado. Apesar do virtual possibilitar a "convivência" de groupos de usuário, seu espaço constituí-se de forma distinta do mundo físico. Isso já é motivo suficiente para maior investigação.

As pesquisas realizadas por Boyd (BOYD, 2002) mostram como o designer deve procurar tornar o espaço virtual legível proporcionando elementos que auxiliem seus usuários a compreender sua estrutura e dinâmica. Para tanto, ele deve criar componentes explícitos para descrever o espaço que está criando. A presença dos usuários no ambiente é um desses elementes que precisa ser claramente evidênciado. No mundo físico a presença de uma outra pessoa em um espaço é ususalmente observada com facilidade. Mesmo quando a pessoa não se encontra em uma lugar, sua passagem por um espaço costuma deixar marcas claramente identifícaveis durante algum tempo. Já em um espaço virtual, a presença do outro" não é facilmente observável, e muitas vezes só pode ser inferida por meio de rastros muitos sutis. É justamente nesse caso que o IM pode auxiliar em uma plataforma. A lista de contatos desse tipo de ferramentas é um evidência suficientemente clara de presença, mostrando quais os usuários que se encontram "dentro" do ambiente no momento corrente.

Esses dois objetivos constituem elementos importantes dentro do desenvolvimento de uma plataforma virtual de aprendizagem. Durante o desenvolvimento do AMADIS, ocorreu uma reflexão em como criar um IM que refletisse tais objetivos.


Implementação do Web-papo no AMADIS

Tela alert finder.jpg


Tela finder.jpg


Integrando o Web-papo à interface do AMADIS

Referências Bibliográficas

BOYD, Danah e LEE, Hyun-Yeul e RAMAGE, Daniel e DONATH, Judith S.
Developing Legible Visualisations for Online Social Spaces.In: HICSS, 2002, Hawaii. Anais.
REID, E. 
Electropolis: Communication and community on Internet Relay Chat. Unpublished honors thesis, Department of History, University of Melbourne, Melbourne, Australia. 1991. Disponível em http://www.irchelp.org/irchelp/misc/electropolis.html. 241 p. Tese de Doutorado.
NEVADO, R. A.
Espaços interativos de construção de possíveis : uma nova modalidade de formação de professores. Porto Alegre. PPGEDU/UFRGS, 2001.Tese de Doutorado.
NOBLIA, María Valentina
Convesación y comunidad: Las chats en la comunidad virtual. Em: . Revista Iberoamericana de Discurso y Sociedad. Barcelona, España: Editorial Gedisa, 1998.
Ferramentas pessoais
Parceiros
















SourceForge.net Logo

Supported by Cenqua