Funcionalidade Projetos Versão 1.x

Da AMADIS

Revisão das 20h43min de 28 de Agosto de 2006 por James (discussão | contribs)

O módulo de Projetos no AMADIS é a principal peça do sistema, na medida em que é o conceito central da proposta pedagógica que o embasa. Todas os demais módulos e funcionalidades colocam-se como elementos secundários que devem integrar-se ao processo de desenvolvimento de um projeto.

Mesmo tendo claro o papel central que o módulo de projetos tem na plataforma, criar um sistema que gerenciasse o desenvolvimento de vários projetos simultâneamente é uma tarefa complexa. Ao contrário de desenvolver um sistema para cursos, onde todos os atores e papéis estão bem definidos pelas práticas escolares vigentes, quando trabalha-se por Projetos de Aprendizagem - PA, não existem modelos claros do que os usuários esperam de sistema e de como ele pode apoiar o trabalho em desenvolvimento. Mesmo existindo relatos sobre como um PA ocorre em um contexto presencial (cf. FAGUNDES,1999 e MAGDALENA et al., 2000), não existem softwares para serem utilizados como ponto de partida.

As referências que foram utilizadas nesta área do AMADIS vêm de outro contexto, o do Software Livre - SL. Já faz algum tempo que a comunidade OS/SL, viu a necessidade da criação de sistemas que permitissem o desenvolvimento colaborativo de software por equipes geograficamente distantes. Era necessário agregar sobre uma única interface vários tipos de ferramentas, tais como, versionadores de código, fóruns, listas de discussão, sistemas de reporte de erro. Dessa nescessidade surgiram, no final da década de 1990, sites como o SourceForge (criando pela empresa VA Linux) e o Savannah (mantido pela Free Software Foundation). Dentro do Brasil, pode-se ver exemplos como o site Código Livre. Esses sites são um referência na medida em que mostram a possibilidade de gerenciar dezenas de milhares de projetos, cada um deles com uma área de produção e um equipe trabalhando cooperativamente. Entretanto, a mudança de contexto do desenvolvimento do projeto, da informática para a educação, é demasiado brusca para realizar uma simples transposição. É necessário reconstruir a ferramenta refletindo sobre todos os seus aspectos para o desenvolvimento de PAs.

De modo semelhante aos sites da Comunidade SL/OS, o módulo de projetos do AMADIS está divido em duas partes. A primeira parte destina-se a catalogação dos projetos registrados no sistema. A segunda, é a área de trabalho de cada projeto, a qual disponibiliza uma série de ferramentas para o desenvolvimento do projeto.

O Catálogo de Projetos

O catálogo de projetos é um página que provém mecanismos para acessar todos os projetos indexados pelo sistema. (ver imagem abaixo.)

Área de Projetos

A concepção dessa área levou em consideração a idéia de proporcionar múltiplos mecanimos para a localização de projetos. É relativamente comum sujeitos trabalhando com PAs escolherem questões de investigação semelhantes, o que pode levar ao desenvolvimento de projetos semelhantes. No entanto, um processo mais interessante pode emergir quando um aprendiz utiliza o trabalho desenvolvido pelo colega como base para o seu próprio. Isso pode auxiliar o sujeito a aprofundar o seu conhecimento sobre o tópico sendo investigado. Para tanto, o usuário pode, antes de registrar um novo projeto, realizar uma pesquisa na base de dados procurando por projetos que possuam intersecções com o seu.

Nessa parte da plataforma também é possível realizar o registro de um novo projeto. Qualquer usuário cadastrado no AMADIS pode criar um novo projeto. Parte-se do pressuposto que o projeto pode ser uma atividade intencional e espontânea do sujeito, usualmente instigava por sua curiosidade. Não existiria sentido em restringir ou moderar a criação dos projetos, a não ser por eventuais julgamentos morais sobre o conteúdo do mesmo. Entretanto, isso criaria a necessidade da figura de "juíz", o qual arbitra quais projetos são validos e quais não. Nesse sentido, acredita-se que criar mecanismos para que os próprios usuários do sistema gerenciem os seus conflitos seja uma forma muito mais interessante para solucionar tal questão. Isso diminuiria a necessidade de um gerente do sistema, atribuindo partes desse papel para a comunidade de seus usuários.

Processo de Cadastro de um Projeto


Ao desenvolver o cadastro do sistema, optou-se por criar um registro minimalista, com o mínimo de informações necessárias. Um processo de registro mais completo e, portanto, mais demorado, poderia ser difícil devido ao acesso limitado e compartimentalizado de certos usuários à um computador, principalmente em escolas. Discutir informações relevantes, tais como as questões de investigação do projeto, é um processo lento, o qual exige muitas vezes a intervenção de um facilitador. Portanto, o sistema inicialmente cria um projeto mínimo, deixando a cargo do usuário, posteriormente, refinar as informações disponíveis.

Uma parte interessante do processo de cadastro é a escolha de uma imagem representativa do projeto. Dentro da linguagem gráfica do AMADIS importou-se o conceito do site de relacionamentos Orkut o qual atribuí as imagens características de avatares e de cenários. Elas marcam o espaço da tela, determinando os espaços do projeto. Elas também funcionam como marcas de pertencimento, deixando rastros nos membro da equipe, de que participam daquele projeto.

O Espaço de Construção do Projeto

Na área de projetos do Amadis você é livre para criar seus desafios de pesquisa. A partir da criação de um projeto, é possível construir páginas na Internet, publicar e compartilhar arquivos, participar de fóruns e chats, agregar informações de outros diário da Internet ao projeto. Por meio dessas ferramentas, facilita-se a troca de idéias entre os membros do projeto, instigando o desenvolvimento dos saberes de cada um. A área interna de cada Projeto também passou por uma reformulação da versão 1.0 para a 1.2, sendo incluídos novos mecanimos para os usuários gerenciarem seus projetos no AMADIS.

Um destes gerenciadores é a biblioteca do projeto, que compartilha arquivos entre os membros do projeto, ou entre todos os membros do ambiente. A área de postagem para novidades provenientes da equipe do projeto permite a publicação de notícias para a comunidade, assim como a área de comentários possiblita a qualquer usuário do ambiente postar mensagens para os integrantes do projeto.

Um usuário pode tornar-se um colaborador de um projeto já existente a partir de um pedido para a sua equipe. Na caixa Participar do Projeto encontra-se um espaço para que o usuário defenda seu pedido de por quê ele deseja tornar-se um integrante do Projeto. Após o usuário submeter o seu pedido, os integrantes do projeto recebem a notificação, cabendo aos mesmos optarem por aprovar, ignorar (deixando em aberto a posição) ou reprovar o pedido. O usuário que aprova ou reprova a participação deixa um depoimento da sua escolha que fica resgistrada no histórico do Projeto. (veja o processo na imagem abaixo)


Processo de inclusão de um novo usuário

A plataforma em Ação: Um estudo de caso sobre o Projeto Girasol

Ao acessar o Projeto Girassol deparamo-nos inicialmente com a página de caracterização do projeto, neste local está reunido todo o conjunto de ferramentas que dão suporte ao projeto.

A página que apresenta o projeto Girassol (ver imagem abaixo) apresenta no campo superior esquerdo uma imagem de caracterização e uma breve descrição. Esses dados servem como um rótulo para linkar outros espaços do ambiente ao espaço do projeto, será principalmente por meio desses dados que o projeto disponibilizará rastros por toda a plataforma.

Projeto Girassol visto por um visitante.

O usuário que visita a página do Projeto Girasol sem ser um integrante da equipe visualiza os dados com certas restrições, impossibilitado de adicionar novos arquivos aos espaços restritos da equipe. Mas o visitante pode acompanhar todas as discussões realizadas no fórum, verificar a página publicada pelos integrantes do projeto, visualizar as novidades deixadas pelos integrantes da equipe e observar as colaborações exibidas no agregador. Um visitante também pode deixar comentários sobre o projeto e pode vir a tornar-se um participante.

Já os integrantes do Projeto Girasol visualizam os mecanismos de edição do projeto na página central do Girasol. Entre as principais caixas de funcionalidade está a caixa de Edição do Projeto, onde os usuários podem trabalhar:

  • na atualização das informações do projeto, ao acessar o espaço de descrição do projeto e a imagem de caracterização do mesmo.
  • no convite de novos usuários ao projeto; através da ferramenta para contactar novos usuários do ambiente afim de auxiliarem no desenvolvimento do projeto.
  • na publicação de arquivos para Página, acessando a ferramenta de gerenciamento e publicação da página que é construída pela equipe do projeto.
  • no abandono do projeto; permitindo ao usuário deixar o projeto caso esse não seja mais do seu interesse.


Visão de um projeto por um membro da equipe.


É também a partir da tela principal do Projeto Girasol que a equipe tem acesso pleno as ferramentas de comunicação: Chat e Fórum(ferramentas que serão descritas em um tópico adiante).

Ferramentas pessoais
Parceiros
















SourceForge.net Logo

Supported by Cenqua