Funcionalidade Webfólio Versão 1.x

Da AMADIS

(Diferença entre edições)
m (correção no tamanho da imagem)
(Referências Bibliográficas)
Linha 14: Linha 14:
;NEVADO, Rosane, MAGDALENA, Beatriz e COSTA, Íris: Formação de Professores Multiplicadores: nte2@projetos.cooperativos.ufrgs.br. In: Revista Informática na Educação – Teoria e Prática, vol. 2 nº 2, PGIE-UFRGS, 1999.
;NEVADO, Rosane, MAGDALENA, Beatriz e COSTA, Íris: Formação de Professores Multiplicadores: nte2@projetos.cooperativos.ufrgs.br. In: Revista Informática na Educação – Teoria e Prática, vol. 2 nº 2, PGIE-UFRGS, 1999.
 +
 +
;DONATH, J. S.: Inhabiting the Virtual City: the Design of Social Environments for Electronic Communities. Tese de Doutorado. 1997. MIT Media Lab. Boston, US.

Revisão das 20h11min de 25 de Agosto de 2006

Observações sobre a tela do Webfólio do AMADIS 1.2

A página de Webfólio (cf. Nevado, Magdalena e Costa, 1999) é o principal espaço de organização da produção do indivíduo dentro do AMADIS. É a partir dela que o usuário pode acessar as suas atividades, localizando e explorando os seus espaços de interação. O Webfólio, na versão AMADIS 1.2, dá acesso às diversas ações do indivíduo sobre a plataforma, mapeando os seus processos de construção. Optou-se por exibir a página de Webfólio logo após do login, pelo fato de assim se expor, ao sujeito, o reconhecimento e a organização dos seus espaços de construção e trocas.

Na versão AMADIS 1.0, o Webfólio apresentava um layout deficitário de ferramentas que proporcionassem um espaço de construção de identidade do sujeito O Webfólio não se explicitava como um campo de apropriação do sujeito. Não havia espaço para registrar ações que interferissem sobre a visualidade da tela, tais como: inclusão de fotos e definição de um perfil, o que possibilitaria a demarcação do sujeito como um ponto de referência do ambiente. Nesse sentido, fez-se necessário flexibilizar essa estrutura, afim de que o usuário significasse o espaço como seu, estimulando-o a se apropriar do ambiente. Foi a partir desta nova concepção que se desenvolveu o AMADIS 1.2.

A área foi reorganizada seguindo alguns pressupostos da versão anterior, como mapear ao sujeito todo seu material intelectual, porém, enfatizou-se uma nova abordagem: o Webfólio como um espaço próprio para a construção da identidade do sujeito.

Nesse espaço, encontram-se as ferramentas de edição dos dados pessoais, que se caracterizam pela descrição de um perfil e pela foto de representação do usuário. Foram adicionadas também “caixas de funções” que informam sobre as novidades das áreas de Projetos e de Comunidades vinculadas ao usuário. Além disso, foram inseridos alertas de mensagens direcionadas ao usuário por outros membros do ambiente. Deste modo, toda ação do usuário pode ser referenciada no seu Webfólio, por meio de um link, o que facilita o reconhecimento e a aproximação das pessoas que contribuem nas trocas de informação.

Por fim, cabe ressaltar que, nesta versão do AMADIS 1.2, são apresentadas configurações distintas de visualização para uma mesma página de Webfólio. Isto é, caso o usuário esteja visualizando o seu próprio Webfólio, este apresenta todas as ferramentas de edição e as suas mensagens particulares, enquanto que, para outro usuário que visite este Webfólio, a página apresentaria apenas a visualização das produções e os dados pessoais do autor, permitindo o envio de mensagens a ele. Nesse contexto, cada Webfólio exibe um perfil próprio dos sujeitos, que indexa não somente seus dados pessoais e fotos, mas também suas principais contribuições e vinculações com Comunidades e Projetos.

Referências Bibliográficas

NEVADO, Rosane, MAGDALENA, Beatriz e COSTA, Íris
Formação de Professores Multiplicadores: nte2@projetos.cooperativos.ufrgs.br. In: Revista Informática na Educação – Teoria e Prática, vol. 2 nº 2, PGIE-UFRGS, 1999.
DONATH, J. S.
Inhabiting the Virtual City: the Design of Social Environments for Electronic Communities. Tese de Doutorado. 1997. MIT Media Lab. Boston, US.
Ferramentas pessoais
Parceiros
















SourceForge.net Logo

Supported by Cenqua